Utilizamos cookies para fins analíticos e funcionais visando melhorar sua experiência com nosso website.
Ao navegar, você concorda com nosso uso de cookies.
Fechar

Entrevistas

REVISTA MAXIMUS BRAZIL

CAPA ONLINE

Mário Gomes é um ator brasileiro, começando sua carreira no Teatro tendo feito enorme sucesso, sendo abduzido pela televisão onde conseguiu grandes audiências em telenovelas, como por exemplo, Gabriela, Anjo Mau, Duas Vidas, Jogo da Vida, Sol de Verão, Guerra dos Sexos, Vereda Tropical, Perigosas Peruas, entre, pelo menos Quarenta e três, produções, semelhantes.

Além de ator, Mário também é compositor, destacam-se em seu repertório as canções "Rei dos Trópicos", "Chiclete e Cabochard", “Eu tô cheio de Mulhé”, chamando Chacrinha , para cantar junto ,"O Dono da Bola", este último tema de seu personagem em Vereda Tropical, essa produção tendo alcançado a maior audiência, [IBOPE, 98%], ou seja, em média, todo mundo via, maior sucesso em qualquer tempo, em qualquer horário, em qualquer televisão aberta ou fechada, contra qualquer que seja a produção, e ou programa.

Em entrevista, o ator declara ter quatro discos, e que só teria parado de cantar por ter tido problemas com um dos principais diretores do único veículo de televisão à época "que teria lá as razões dele, para não gostar de nada que tivesse haver comigo, apesar do público não pensar da mesma maneira, ou seja a ditadura Global é permanente, muito diferente de outras, ditas, ditaduras! E, não era só comigo, se fosse meu amigo, complicava, Nuno Leal Maia foi maltratado por ele, Guel Arraes, Jorge Fernando, que faziam, comentários, tipo, a Glória, [Meneses] fala lá em cima, e puxavam o saco da querida Glória."

"Eu entrava na sala do Boni, a hora que queria, ele colocava um jato a minha disposição para que eu pudesse cumprir certos compromissos, mandava-me flores, nunca puxei o saco de ninguém, graças a Deus! Dois aliciados, que faziam o que o diretorzão mandava e me traíram o tempo todo, e que começaram suas carreiras de sucesso, quando embarcaram, no navio, Novela “Jogo da Vida”, a partir do capítulo, setenta, na qual eu era o Capitão e já estava em alto mar, ou seja pegaram o barco já fazendo sucesso."

"Novela com nova cara, irreverente, bem-humorada, nonsense, proposta minha e abraçada por meu querido, incorruptível, integro, correto, insubornável, imperturbável, inalterável, saudoso amigo Roberto Talma, que Deus o tenha no melhor dos céus!!! Fiz vários sucessos junto com ele."

Em 1985, ele formou uma banda, chamada Mário Gomes e os Supernomes. No mesmo ano, abriu a MG Confecções, uma fábrica de roupas esportivas e jeans, que hoje não mais existe. 

 

Também foi responsável pelo concurso cultural "Construindo a Persona Futura", uma iniciativa com Secretaria Municipal de Cultura (SMC) pela qual alunos do 4º ao 9º ano do Ensino Fundamental, na Rede Municipal de Ensino do Rio de Janeiro, criam um vídeo de um minuto representando a profissão que pretendem seguir, mediante a criação de uma personagem inspirada nesta profissão, ou seja, a persona futura. O objetivo é promover, sob a orientação de um professor, a busca do conhecimento por meio de pesquisa em sites, livros, nas escolas e bibliotecas municipais, para a construção da personagem que será apresentada na produção audiovisual. Os autores dos melhores vídeos foram homenageados e tiveram suas produções divulgadas no site e nas mídias sociais do município.

O smartphone é usado de maneira positiva, o aluno faz pesquisa, busca informações, desenvolve o conhecimento geral, também nas bibliotecas, quais matérias, livros que deve ler. Desenvolverá o auto conhecimento, vivenciada em cada performance, acompanhando alguém q exerça a tal função, etc...,  através das várias personas, no seu percurso escolar, assim encontrando-se consigo mesmo e saberá exatamente qual o melhor caminho a seguir em sua vida adulta, sabendo qual a função que lhe proporcionará a realização de seus objetivos , a mais agradável para si e com a qual obterá os valores correspondentes as suas expectativas; Quantos filhos quer ter, onde gostaria de morar, enfim, focado em um padrão que o permita viver satifatóriamente em qualquer sociedade que também será escolhida com segurança e consciência.

"Quem conhece o outro é inteligente, quem conhece a si mesmo é iluminado!
Quem vence o outro é forte, quem vence a si mesmo é invencível!"

- Lao T'sé

  

  

E foram 43 novelas, 8 filmes e vários prêmios que consagraram a carreira do ator, confira a entrevista exclusiva para a Revista Maximus:

 

Bate Papo com Jo Ribeiro:

 

1. Antes de iniciar a carreira como ator você já cantava?

Resposta: - É, com oito anos, já me imaginava subindo uma rampa, chegando no palco. Como sempre gostei da escrita, eu fazia algumas letras de músicas, de acordo com minha tenra idade, meu pai tocava violão. Queriam me lançar como cantor, mas segui a carreira de ator, por fim fiz conservatório, passei com distinção, honraria concedida a poucos, daí me levaram ao Teatro, ganhei o prêmio, revelação, com críticas muito entusiasmadas e muito sucesso de público em, 1973, Prêmio, Melhor Ator “Greta Garbo, quem diria, acabou no Irajá”, a televisão veio atrás de mim.

  

2. Existiu algum fantasma na carreira como ator?

Resposta. Na televisão fiz muitas novelas “Gabriela”, Anjo Mau”, ”Duas Vidas” com o personagem Dino Barbosa, fazia o papel de um cantor. Onde a partir daí, tentaram me tirar de cena atacando a mim e a meu querido saudoso Pai já à época morto a nove anos, para me desequilibrar me desacreditando junto ao público, daí para frente, as coisas foram sempre mais difíceis, porém acredito, “Que o que não nos mata nos fortalece”, e fui levando do jeito que dava, e hoje sou o que sou.

 

3. Mário parou de representar, as fãs perguntam o que aconteceu de verdade?

Resposta: Apesar de ter feito 43 personagens nas novelas e muitos de grande sucesso. Fiz também músicas para novelas destacam-se no repertório as canções "Rei dos Trópicos", "Chiclete e Cabochard”, inclusive na novela foi lançada uma música minha com Pedro Aurélio, Chiclete e Cabochad, ou seja, a música sempre presente na minha vida. “Tô cheio de Mulhé”, o Chacrinha, cantou comigo, “O Dono da Bola", este último tema, de meu personagem Luca, em Vereda Tropical.

 

4. A profissão de ator lhe trouxe benefício financeiro?

Resposta: Tudo o que tenho emocional e financeiramente vem da minha busca por conhecimento e meu trabalho como artista.

   

5. Você já tem novas parcerias musicais?

Resposta: Sim fiz um samba e convidei o querido e hoje grande amigo, Gilson de Sousa, “POXA”, para ilumina-lo, tenho novas parcerias musicais com D Carlos, belo cantor e compositor, Bedai, “ “Quando Deus te desenhou, ele tava namorando...” e também com Antonio, dono do nosso Studio e parceiro.

 

6. Você pode nos dar um Spolier sobre sua autobiografia?

Resposta: Quanto a autobiografia tenho muita coisa escrita, mas ainda estou criando uma maneira de contar-me de forma divertida, leve, ágil e graciosa.

7. Vida pessoal e como andas, saúde, hobby, lazer e esporte?

Resposta: Está tudo bem, cuidando da minha saúde com ótima alimentação, acabei de fazer uma radioterapia e meu (PSA) veio zerado. O esporte faz parte da minha vida, assim como as caminhadas e corridas.

    

8. Sabemos também que tem recebido proposta para atuar, os fãs querem saber, você retornará?

Resposta: Acabei de fazer um filme chamado “Recomeçar”, com direção de Alessandro Barcellos, e Gil Santos, filme leve, tragicômico, foi bem interessante, roteiro fácil de fazer, menos texto e mais simbolismos.

  

9. E a política você pretende algum dia se candidatar?

Resposta: Eu não tenho interesse em me candidatar, sou artista meritocrata. Acho que o governo está indo muito bem, mas muito bem mesmo, inacreditavelmente bem, infelizmente, estão usando gravemente a pandemia para atrapalhar, a verdade acaba prevalecendo, salva, e o bem vencerá!

 

Matéria a ser publicada na Revista Maximus Brazil

Mário Gomes está lançando site: Mário Gomes Oficial
www.MarioGomesOficial.com.br

Colunista: Jo Ribeiro



Fonte: maximusbrazil.com.br

Compartilhe

MÁRIO GOMES OFICIAL - 2021

Flag Counter